quinta-feira, março 16, 2006

 

Conquistar um lugar ao Sol...

Será que daqui a 50 anos temos fotos destas ?
Talvez o banco esteja apenas com uma pessoa, porque hoje em dia não se tem a capacidade de contornar os problemas em conjunto.

Comparando com a geração actual de jovens, estes parecem, cada vez mais mergulhar no liberalismo que é tão característico da sociedade, ou seja, uma revolta contra tudo que envolva responsabilidades normais ou compromissos.
Na verdade, muito dificilmente há compromissos, Não existem objectivos a longo prazo, nesta geração a única coisa que existe a longo prazo são os empréstimos bancários.
É pena ver como hoje em dia os casamentos duram tão pouco!
Contrariamente ao que as pessoas pensam, uma relação de longo prazo não acaba, gasta, exausta e sem réstias de amor, ela é assim um testemunho em como esse amor sobreviveu a todas as provas.
É verdade que o percurso de vida de um puro amor, é difícil, e não querendo ofender ninguém, a maneira de ultrapassar os problemas que surgem é diferente: para uns é tentar ultrapassá-los resolvendo-os, para outros é simplesmente esquece-los e partir para outra " aventura"!!!
Mas é curioso ver como já no final da vida e olhando para muitos idosos, nenhuns deles parece arrepender-se de algo que tenha passado com o seu/sua companheiro/a.
E se assim procedermos, poderemos chegar ao fim da vida e sentarmo-nos num banco, contemplando o belo sol e com a consciência que estaremos o resto da nossa vida com quem sempre quisemos estar.
Amor significa um compromisso tão grande e tão belo que é capaz de ultrapassar qualquer dificuldade ou problema, não é uma experiência passageira.

Amor no dicionário.


do Lat. amore
s. m.,
viva afeição que nos impele para o objecto dos nossos desejos;
inclinação da alma e do coração;
objecto da nossa afeição;
paixão;
afecto;
inclinação exclusiva;
ant.,
graça, mercê.
com -: com muito gosto, com zelo;
fazer -: ter relações sexuais;
loc. prep.,
por - de: por causa de;
por - de Deus: por caridade;
ter - à pele: ser prudente, não arriscar a vida;
- captativo:vd. amor possessivo;
- conjugal: amor pelo qual as pessoas se unem pelas leis do matrimónio;
- oblativo: amor dedicado a outrem;
- platónico: intensa afeição que não inclui sentimentos carnais;
- possessivo: amor que leva a subjugar e monopolizar a pessoa que se ama;


Comments:
Ola! Como as tuas palavras fazem sentido na minha cabeça. Não que nao as soubesse mas porque se calhar tenho andado perdida. E tens razao, hoje nao há AMOR porque por amor tudo se supera e tudo é acessório. Pena é iludirmos-nos a nós mesmos crendo que amamos e somos amados e depois apercebermo-nos que afinal era tudo ilusão.
Adorei o teu post. E faço votos a muitas fotos dessas no nosso futuro. De todos nós, desta nossa geração, para que possamos sorrir e acreditar de novo no AMOR!

Obrigado e beijinhos
 
É verdade, concordo contigo Alentejano.
A geração actual não se sujeita ao que as anteriores gerações se sujeitarma.
1º - Porque a mulher deixou de ser a esccrava que era antigamente;
2º - porque hoje a mulher tem a sua independência;
3º Tem que existir tolerância de ambas as partes e na maioria das vezes não existe..
4º- Tem que haver respeito mútuo:
5º- O trabalho e os amigos não podem estar em 1º lugar;
6º - A mulher necessita de muito carinho, de muita atenção, de muito amor.

Quando não se verificam os pressupostos atrás referênciados, para quê manter uma relação?

Gostei...um bjinho
 
Nem sempre é facil conduzir uma relação nos nossos dias.Andamos muito ocupados com a vida profissional,cada vez passamos menos tempo com a familia.O amor deve ser regado todos os dias com pequenos mimos e atenções.Se deixamos a monotonia instalar-se o fogo e a paixão de outros tempos desaparecem,e acho que aí é que começa uma descida vertiginosa na relação.Não sei o segredo da felicidade,mas sei que é um caminho a ser percorrido a dois com empenho.Adorei o post.Hoje mereçes um beijo MUITO GRANDE
 
Tenho que comentar

As vezes e sem darmos conta, devido as adversidades pelas quais passamos, o amor passa. E quando nos damos conta, vem a pegunta:
-O que estou a fazer com esta pessoa? ´Não me elogia, não me faz um carinho, não me ajuda no dia-a-dia, não conversamos, já não rimos juntos há imenso tempo, a não ser nas noitadas....
Não me ajuda a resolver os nossos problemas, não manifesta os sentimentos que tem em relação a mim!!!!
E descobrimos que estamos com a pessoa, não só por hábito, mas também pelo que as pessoas irão comentar.
(O meu caso)
Depois de 5 anos e de esse "grande amor" que eu sentia, ter chegado ao fim, (não o culpo apenas a ele, culpo-me também a mim, que na altura certa, poderia ter insistido mais para falarmos sobre os nossos problemas, apesar de ele nunca qurer falar)tomei a decisão de ser feliz. Magoei, fiz sofrer, arrependi-me e arrependo-me constantemente de não ter agido de outra forma.
Mas isto tudo para dizer que o amor não se generaliza, cada caso é um caso, e por vezes acaba, sem nos darmos conta, apenas poruqe não queremos ver o óbvio....

Comigo aconteceu....

Beijo
Lentjana

( o café ainda tá combinado )
 
não acho que o amor tenha definição,cada um vive e sente-o á sua maneira...
Vivam,,amem e sejas amados ihihih :o) e pronto fica tudo bem...
 
Vai haver fotos assim....

Apenas talvez não seja o mesmo par que ali esteve sentado 50 anos antes...
... mas será um par com os mesmo amor, ou mais forte e verdadeiro, sem obrigações, ressentimentos, arrependimentos ou incertezas!

É que as relações só duram menos se o amor acaba... dantes o amora tb acabava, apenas a "fachada" continuava...

E melhor ainda! Qd há sorte e é verdadeiro, o amor existe e continua mesmo sem compromissos :o)
falo por mim... que não dispenso o amor mas dispenso os papéis!

BJs «com -» :o)
 
É nisto que eu acredito, e espero poder usufruir de belas tardes a vêr o pôr do sol com o meu marido...hoje em dia as pessoas não gostam de ceder e à primeira dificuldade, acham que o melhor é cada um ir para o seu lado!
Tento manter, o diálogo, a conquista diária, mas acima de tudo o respeito que tenho pela pessoa com quem resolvi partilhar a minha vida :-)
 
Bom, eu sou suspeita para falar porque passei por uma situação de divórcio. No entanto sempre tive uma opinião muito própria a este respeito e, desculpa, não concordo completamente com os teus conceitos, ou se quiseres, com a forma como perpectivas o amor a dois eterno.
Para não correr o risco de me alongar, vou tentar sumariar o que acho da seguinte forma:
trocou-se a dependência feminina e a reclusão, a hipocrisia e a fachada, a escravidão silenciada pelas mulheres, o adultério craaso dos homens, a desigualdade gritante por:
o choque da tentativa de igualdade feminina, a libertação e afirmação da mulher, o adultério explícito e deliberado nos dois sentidos, a tentativa de partilha de tarefas, a independência feminina, o diretio de dizer 'não quero mais' sem correr o risco de ser apedrejada pelos vizinhos ou deserdada e, por ultimo.. sim, arranjou-se o compromisso descartável, a leviandade no desassumir e desvincular... ainda assim, digo-te... prefiro viver nesta época para poder dizer se assim o sentir : " vai-te f... porque eu não preciso de ti para nada"... VIVA A AUTÊNTICIDADE... é apenas o que nos resta!
 
Gostei, principalmente do significado amor, coisa que muita gente não sabe o que é!
Um beijo grande
 
Amor??? o sentimento mais nobre que se sente por algo, família, amigos, animais, e um determinado número de coisas....
Um relacionamento a dois, mt bonito mas precisa de paixão como alimento... respeito e espaço... não deixar cair na rotina...
É complicado saber se encontramos a pessoa que nos completa, afinal não conhecemos toda a gente, e de repente essa pessoa pode surgir...
Viver o presente, e sermos felizes todos os dias é a melhor opção, se acompanhados melhor ainda mas não da forma como faziam as nossas avós... acomodadas!!!
Bom post

;))Beijinho
 
"Será que daqui a 50 anos temos fotos destas?"
Não será pedir muito que eles se aguentem ainda mais 50 anitos?
 
Eu acho simplesmente que o que acontece hoje tem a ver com a independência que a mulher conquistou. Concordo com o que diz a mimi. Apartir do momento em que a mulher se sustenta e tem o seu próprio trabalho, não é obrigada a se sujeitar, e hoje em dia um divorcio não é mal visto como era antigamente. Tudo isso que levava as pessoas a manter uma relação, não existe mais e se esta mal muda-se. Apesar disso, acredito também que hoje em dia muitas pessoas preferem fugir dos problemas em vez de os enfrentar porque é mais fácil.
 
copiaste de onde?
 
Acho que para além de a minha geração (sim, é na minha geração que isto ocorre) existir uma aversão às responsabilidades e compromissos, é uma geração cada vez mais egocentrica, em que conta apenas a satisfação, bem estar e prazer pessoal!!!
Se amor é dar sem esperar nada em trocar é obvio que não se pode agir daquela forma!!!
 
Simplesmente fantástico!
Um abraço amigo,
Daniela.
 
Não te tinha por lamechas ó Alentejano!
 
Pergunto eu :
Que é o Amor? Existe Amor eterno e verdadeiro? Ou companherismo,complicidade ao longo da vida?

Concordo com o teu post:)

Mas espero um dia encontrar um "Amor" e ter o banco de jardim á minha espera,ao sol.

Beijo na xexa:)
 
Meu caro,
tudo que se possa opinar aqui sobre o assunto é pura fantasia..diria que o que importa é o caracter e a coragem das pessoas para enfrentarem as coisas de frente...infelizmente o que existe é uma cobardia atroz...é mais fácil o silêncio e o ignorar das situações...
Bem haja quem consegue a felicidade do verdadeiro amor..bem haja..
Mas escreve lá coisas que nos façam rir que é isso que importa..
 
Amor, amor, amor...Amor verdadeiro só acontece uma vez. O resto, são histórias...
 
acho que vai haver fotografias assim...
acho que tal como tu, muita gente tem consciência disso...
fala-se que no outro tempo, as mulheres aguentavam tudo...
eu digo que no outro tempo havia vergonha! e havia respeito também!
falo pelo meu pai, que se divorciou da minha mãe era eu muito pequena, daí para cá teve um monte de mulheres, voltou a casar e a divorciar... e ainda há dias no dia do seu aniversário me disse que não era feliz..
o mais grave de tudo é que aos 57 anos ele diz que não é feliz, mas que já não há nada a fazer...
ou seja, também não se dá bem com a mulher que tem agora, mas já não a vai deixar...
e diz ele... de todas as que tive foi da tua mãe de quem mais gostei, e foi com a tua mãe que fui mais feliz!!
lá está...
em vez de ter tido problemas sempre com mulheres diferentes... poderia ter tido problemas sempre com a mesma mulher!!!
tenho também o exemplo dos pais de um amigo meu, cujo pai também traia a mãe, quando eramos miudos... só que os pais dele, ultrapassaram a questão...e ainda hoje continuam juntos e mais unidos do que nunca...

acho sinceramente que depois do 8 e do 80, a geração vindoura há-de encontrar o meio termo...
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?